Sinopse

Pouco antes de morrer, em 1977, Clarice Lispector decide se afastar da inflexão intimista que caracteriza sua escrita para desafiar a realidade. O resultado desse salto na extroversão é A Hora da Estrela, o livro mais surpreendente que escreveu. Se desde Perto do coração selvagem, seu romance de estreia, Clarice estava de corpo inteiro, todo o tempo, no centro de seus relatos, agora a cena é ocupada por personagens que em nada se parecem com ela.
A nordestina Macabéa, a protagonista de A Hora da Estrela, é uma mulher miserável, que mal tem consciência de existir. Depois de perder seu único elo com o mundo, uma velha tia, ela viaja para o Rio, onde aluga um quarto, se emprega como datilógrafa e gasta suas horas ouvindo a Rádio Relógio. Apaixona-se, então, por Olímpico de Jesus, um metalúrgico nordestino, que logo a trai com uma colega de trabalho. Desesperada, Macabéa consulta uma cartomante, que lhe prevê um futuro luminoso, bem diferente do que a espera.
Clarice cria até um falso autor para seu livro, o narrador Rodrigo S.M., mas nem assim consegue se esconder. O desejo de desaparecimento, que a morte real logo depois consolidaria, se frustra.
Entre a realidade e o delírio, buscando social enquanto sua alma a engolfava, Clarice escreveu um livro singular. A Hora da Estrela é um romance sobre o desamparo a que, apesar do consolo da linguagem, todos estamos entregues.
JOSÉ CASTELLO, Jornalista, escritor e Mestre em Comunicação pela UFRJ

Autor

Clarice Lispector
Clarice Lispector
Uma escritora decidida a desvendar as profundezas da alma. Essa é Clarice Lispector, que escolheu a literatura como bússola em sua busca pela essência humana.
Sua tentativa de transcender o cotidiano revela-se em personagens na iminência de um milagre, uma explosão ou uma singela descoberta. Todos suscetíveis aos acontecimentos do dia a dia.Vidas que se perdem e se encontram em labirintos formados por uma linguagem única, meticulosamente estruturada. E é por essa linguagem que Clarice Lispector constrói uma obra de caráter tão profundo quanto universal.

Narrador

Mel Lisboa

Mel Lisboa

Atriz profissional desde 2001, produtora e graduanda em Letras pela PUC-SP, Mel Lisboa já participou de espetáculos de diretores como Gabriel Villela, Zé Henrique de Paula, Paulo Faria, Susanna Kruger, Débora Dubois e Márcio Macena. Já foi indicada aos prêmios mais importantes do país, tais como o Prêmio Shell, Cesgranrio, Prêmio Aplauso Brasil e Bibi Ferreira. Em 2014, ganhou vários prêmios pela sua interpretação de Rita Lee no musical “Rita Lee Mora ao Lado”. Em 2017, junto com Carol Badra, produz o espetáculo “Pescadora de Ilusão”, uma adaptação do livro “A Mulher que Matou os Peixes”, de Clarice Lispector. No audiovisual, seus últimos e mais relevantes trabalhos foram “Pacto de Sangue”, série produzida pela Turner e “Coisa Mais Linda”, série original da Netflix, que teve sua 2a temporada lançada em 2020.